Povos Antigos

Wednesday, January 04, 2006

A Cultura Grega

Berço da lógica, da filosofia e dos Jogos Olímpicos, a Grécia foi morada de muitos filósofos e matemáticos e, hoje, podemos perceber através das palavras da língua materna[1]: muitos radicais, prefixos e sufixos gregos, pois os gregos influenciaram a cultura romana.
Em tempos remotos, os gregos sabiam ler e escrever, contudo a imprensa era desconhecida – os livros eram escritos à mão em folhas secas de papiro e enrolados. Os poetas[2] escreviam sobre vários temas[3] e a obra era confeccionada para ser lida em voz alta para um grupo de pessoas, geralmente a leitura era acompanhada por música.
O teatro era outra atividade cultural grega. As primeiras peças[4] do teatro grego foram apresentadas nas festas religiosas em homenagem ao deus Dionísio, todavia os gregos também apreciavam as comédias[5]. Algumas peças tinham um teor obsceno, porém com humor inteligente. O teatro grego e a poesia de Homero são capazes de emocionar profundamente as pessoas até nos dias de hoje.
Podemos perceber que o povo grego era “dono” de um conhecimento vasto, pois tinham curiosidade e usavam a Ciência para “dar” as respostas. Embora, para eles, ter o conhecimento significava ter virtude, honestidade, coragem e bondade.
Nas ciências, os gregos contribuíram[6] muito, no entanto não foi só nessa área houve contribuições significativas. Aristóteles estudou milhares de tipos de animais e plantas e escreveu um livro chamado Órganon, que ensina o método para raciocinar corretamente.
Considerado por tal livro como o criador ciência da Lógica - que estuda as formas corretas de raciocinar - escreveu também sobre outros assuntos, tais como: Astronomia, Botânica, Filosofia, Física, História, Lógica, Poesia, Política, Teatro e Zoologia.
Na matemática, a geometria euclidiana é a base da engenharia, da ciência e da tecnologia. Sendo possível revelar a grandeza da civilização.
Sobre a história do povo grego, Heródoto foi considerado um grande historiador. Descreveu as guerras entre gregos e persas, viajou pelo Egito e pela Babilônia e descreveu o que viu e, às vezes, reproduziu o que ouviu[7].
Porém não havia um único historiador, Tucídides escreveu[8] a História da Guerra do Peloponeso, na qual descreve as causas e os acontecimentos do conflito entre Esparta e Atenas.
Na medicina, os médicos gregos se consideravam discípulos do grande Hipócrates[9] e como herança grega, hoje em dia, em todas as faculdades do mundo, os médicos recém-formados repetem tradicionalmente o célebre Juramento[10] de Hipócrates.
A filosofia era uma fonte próspera de saber, muito foi questionado. Os primeiros filósofos tentavam explicar como as coisas eram feitas, outros formavam opiniões quanto a composição das coisas, denotando uma atitude racionalista e significativa. Havia, ainda, quem acreditasse que tudo era feito de partículas de matéria tão pequenas que não podiam ser divididas: os átomos.
Na política, eram valorizadas as pessoas que tinham a habilidade de falar bem e convencer as outras pessoas. Devido aos debates, houve o surgimento de uma corrente filosófica conhecida como sofista[11].
Essa corrente foi severamente combatida por Sócrates, que foi condenado a beber cicuta[12], pois alguns dos “alunos” dele começaram a duvidar das instituições gregas e a questionar o Estado. Então, o governo de Atenas acusou Sócrates de “corromper a juventude”. O mais importante discípulo de Sócrates foi Platão que escreveu vários livros em forma de diálogos, o principal livro foi “A República”[13].
Teve como principal discípulo, Aristóteles[14], que após a morte dele, o mundo pôde conhecer outras correntes de pensamento, tais como: hedonistas[15], epicuristas[16] e estóicas[17]. Os céticos - também chamados de pirrônicos – acreditavam que não era possível encontrar verdade nenhuma, que tudo é duvidoso e que o ser humano jamais terá certeza de alguma coisa.
A condição da mulher na Grécia antiga variou bastante dependendo da época, da cidade-estado e da classe social. É sabido que as mulheres espartanas tinham mais liberdade do que as atenienses.
A arquitetura grega ainda é imitada nos dias atuais, no entanto sabemos que os gregos foram influenciados pelos egípcios. Assim é a História, um povo influencia outro, quer seja em tempo de guerra, quer seja em tempo de paz.

[1] A língua portuguesa é derivada do latim que se “apropriou” das palavras da língua grega (antiga).
[2] O mais importante dos poetas gregos foi Homero, autor de dois longos livros de poemas, a Ilíada e a Odisséia.
[3] Desde o amor até o heroísmo no campo de batalha, em geral, revelavam o sentimento da comunidade.
[4] Os três autores mais destacados foram Ésquilo, Sófocles e Eurípedes. Suas obras, escritas no século V a.C., eram chamadas de tragédias, e a maioria delas tinha final triste. O enredo das peças gregas sempre tratava de lendas conhecidas por toda a platéia.
[5] O maior escritor de comédias teatrais foi Aristófanes.
[6] No estudo da Geometria formularam o célebre Teorema de Pitágoras. Euclides foi o responsável pelos teoremas da Geometria euclidiana. Arquimedes comprovou que uma alavanca pode multiplicar o efeito da força de um homem e descobriu o motivo pelo qual um navio muito pesado flutua no mar. O sábio Eratóstenes mostrou que a Terra é redonda e Aristarco de Samos foi o primeiro a dizer que o Sol é bem maior que a Terra e que ela gira em torno dele.
[7] O que o levou a narrar algumas coisas de forma exagerada.
[8] Em nenhum momento Tucídides tenta explicar os acontecimentos a partir de alguma força divina. Ele busca as causas nos próprios acontecimentos. Uma grande demonstração de racionalismo científico.
[9] Viveu no século V a.C. e escreveu livros de Medicina respeitados em toda a antiguidade. Racionalmente, Hipócrates ensinou a observar os sintomas para diagnosticar a doença.
[10] Prometem se dedicar a salvar vidas sem obter vantagens especiais por causa disso.
[11] Os sofistas eram muito hábeis no discurso e chegavam a cobrar caro de quem quisesse aprender suas técnicas de falar em público. Por causa disso, sofisma passou a ser sinônimo de um raciocínio incorreto, de uma frase aparentemente lógica, mas que na verdade está enganando as pessoas. O maior crítico dos sofistas foi Sócrates (470-399 a.C.). Esse filósofo nunca escreveu nada, tudo o que sabemos dele foi contado nos livros de seus discípulos, principalmente por Platão.
[12] Um veneno mortal.
[13] Defendia a criação de uma sociedade em que o Estado controlaria tudo e faria cada cidadão se dedicar à atividade em que mostrasse mais talento.
[14] Trabalhou como preceptor de Alexandre da Macedônia, que tinha muito carinho pelo mestre.
[15] Os filósofos Hedonistas defendiam que a felicidade está na vida de prazeres.
[16] O filósofo Epicuro também defendia o prazer, mas ele achava que a felicidade só seria alcançada através dos prazeres superiores: o estudo, a amizade de homens de bem, a apreciação da arte e das belezas da vida.
[17] Acreditavam que a felicidade estaria no controle dos próprios desejos e na distância em relação aos prazeres. Para eles o homem virtuoso seria capaz de suportar tranqüilamente os sofrimentos da vida.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home