Povos Antigos

Wednesday, January 04, 2006

A Grécia Antiga

Na atualidade, podemos verificar que a tecnologia utiliza a lógica[1], contudo somente os humanos são capazes de aprender a raciocinar corretamente e são eles que programam as máquinas para que elas funcionem de maneira satisfatória.
Essa ciência de que escrevo foi criada em um tempo em que a tecnologia não era programada, a mais de 2.500 anos, em um pedacinho da Europa, pelo povo grego[2], a Matemática e as Ciências tiveram o seu berço na Grécia, todavia o pensamento racional não era a única fonte de mérito, esse povo também teve muitos artistas excepcionais.
Todo esse avanço e criatividade se deveram a questões geográficas[3], então, esses povos, para sobreviver, precisavam, além do esforço, utilizar a inteligência. A Grécia era mais extensa que hoje e várias colônias[4] foram fundadas.
A Grécia teve como primeira economia a agricultura[5]- se baseava na produção de camponeses que eram proprietários de pequenas fazendas. Mais tarde, os gregos se ocuparam com a navegação e o comércio de produtos, como, por exemplo, o artesanato de cerâmica, o azeite e os vinhos que eram produtos de bom nível e eram vendidos para vários povos estrangeiros, concorrendo para a criação de moedas. Tudo isso porque o solo era pouco fértil em algumas regiões.
Concomitante, praticavam a pesca, haja vista que os peixes eram preferência na alimentação, tal qual o queijo, que era feito a partir do leite de cabra.
A origem primeira do povo grego, segundo os estudiosos, surgiu na ilha de Creta - se desenvolveu a civilização minóica[6], ou seja, cretense – em seguida o território começou a ser ocupado por povos vindos da Ásia[7], formando a civilização micênica, muito parecida com a cultura de Tróia[8], que por volta de 1250 a.C. os gregos venceram os troianos na célebre “Guerra de Tróia”. Entretanto como a civilização ainda estava se formando, haveria muito mais mistura, por exemplo, a invasão dos dórios[9], por volta de 1200 a.C., os jônios[10] e os fenícios[11]. Fatos muitas vezes contados por poetas antigos – quem mais se destacou para os gregos foi Homero[12].
Muitas batalhas foram travadas, dessa forma era importante ter um exército, entretanto eram necessárias outras estratégias, então, houve, em um determinado período, uma importante mudança nos exércitos[13] gregos e que mais tarde serviu de referência a para o sistema democrático.
Na democracia, o povo queria participar[14] das decisões da comunidade, inclusive os soldados, entretanto a Grécia não era um país unificado[15], era dividida em pólis ou cidades-estado, que tinham características mais ou menos semelhantes[16]. Tebas e Corinto mais se destacavam, porém Atenas e Esparta[17] eram as mais importantes.
Esparta era uma cidade-estado voltada para a agricultura – havia terra fértil - e tinha como classe dominante os esparciatas[18]. Os espartanos com mais de 30 anos de idade tinham posse das terras do Estado, havia grande igualdade. Todos eram militares e guerreiros, que tinham parte das necessidades básicas supridas pelos periécos[19] e pelos hilotas[20]. A educação era prioritária[21] e seguida com bastante rigor.
Ao contrário de Esparta, Atenas assumiu a liderança naval e tinha destaque no campo do conhecimento ou das artes. Ficou célebre pela vida cultural e pelo regime político democrático[22]. Havia na cidade muitos filósofos, geômetras, poetas, dos autores de teatro ou escultores, dessa forma ficou conhecida por pensadores e artistas. No entanto a vida não era só flor, insatisfações[23] também faziam parte da vida ateniense.
Atenas por acreditar na força da marinha, foi uma das centenas de cidades gregas do Mar Egeu que se uniram para formar a Liga de Delos[24] e que mais tarde afirmou a hegemonia, tinha o Porto do Pireu[25] ligado a ela e com os impostos conseguidos no porto, Péricles[26] reconstruiu Atenas (destruída pelos persas) e mandou erguer edifícios e templos[27] maravilhosos.
Rivais, Atenas e Esparta buscavam reconhecimento, lutaram[28] por dez anos e Esparta venceu, contudo quem se destacou foi Tebas, quando as tropas tebanas entraram na luta e chegaram a ocupar a entrada de Esparta. No final, as cidades-estado gregas estavam muito debilitadas.
O enfraquecimento era uma conseqüência muito perigosa, pois facilitava que outros povos pleiteassem uma invasão, como foi o caso da invasão pelos macedônios[29], todavia as conquistas militares de Alexandre da Macedônia espalharam a cultura grega por vários países do Oriente e com o encontro das culturas orientais com a cultura grega “produziu” a cultura helenista[30].
As guerras “faziam” escravos os povos derrotados. Na Grécia, o Estado era dono de escravos, que faziam parte da mão de obra que era utilizada nas obras públicas, no entanto houve uma inversão na Jônia[31], os gregos passaram a ser escravos dos persas. Também os romanos escravizaram os gregos, todavia a cultura grega influenciou a romana e se espalhou pela Europa e uma parte da Ásia e da África.
Na religião, os gregos faziam várias festas, a mais importante acontecia em Olímpia, onde ocorriam os Jogos[32] Olímpicos, havia uma prova que simbolizava o mensageiro[33] que anunciava a vitória.
Religião e cultura estavam juntas, muitos mitos[34] - poesia e formas de pensamento que ajudavam os gregos a compreender o Universo e a condição humana – e deuses[35] figuravam as histórias gregas.

[1] A ciência que estuda o raciocínio.
[2] Talvez nenhum povo da Antiguidade ocidental tenha valorizado tanto a lógica e o raciocínio. Por isso já se disse que “a razão é grega”.
[3] O clima era até agradável, o inverno não era muito frio e verão era ameno.
[4] Cidades gregas que se desenvolviam fora do território grego e se localizavam na costa da Ásia Menor, nas ilhas próximas, pelas praias e portos do Mar Negro, pela Sicília e sul da Itália e até na Espanha estavam presentes.
[5] Os gregos cultivavam vinhas, oliveiras e cereais como trigo e cevada. Também plantavam ervilha, lentilha, alface, nozes e alho.
[6] Ela atingiu seu esplendor máximo entre 2000 a.C. e 1600 a.C. No começo do século XX os arqueólogos desenterraram a antiga cidade de Cnossos, a mais importante civilização cretense. Nessas escavações arqueológicas já foram encontrados objetos egípcios, contudo também foram encontrados objetos gregos em sítios antigos na França e na Rússia.
[7] O mais destacado desses povos era o dos aqueus.
[8] Ficava num lugar em que os gregos chamavam de Helesponto, na Ásia Menor.
[9] Povo violento que incendiou as cidades micênicas, escravizou os habitantes e destruiu tudo que não podia aproveitar. Só não conseguiu tomar a cidade de Atenas, que já começava a se destacar. Não possuíam nenhum sistema de escrita, dessa forma o período em que governavam foi conhecido como “Idade das Trevas”.
[10] Misturaram-se com os habitantes da Ática, que era uma região onde se encontrava Atenas. Pareciam mais pacíficos que os dórios.
[11] A partir do século X a.C., os comerciantes fenícios tiveram contatos com a Grécia. A influência mais destacada foi a escrita: o alfabeto grego era baseado no alfabeto fenício.
[12] Alguns estudiosos acham até que ele se quer existiu. Os gregos acreditavam que Homero tinha sido o autor de duas obras poéticas da Antiguidade: A Ilíada e a Odisséia.
[13] A estratégia anterior que se baseava no combate individual - havia heróis – mudou para a luta em falange, isto é, caminhando um do lado do outro em linha. Esses soldados da falange eram chamados de hoplitas – trabalhavam em equipe, então, havia organização coletiva.
[14] O filósofo Aristóteles dizia que “o homem é um animal político”.
[15] Não existia uma capital nem um governante com poder sobre todo o território, os gregos não constituíam um império.
[16] Eram cercadas por terras com campos cultivados, pastos, florestas e casas de camponeses. Produziam artigos de artesanato, realizavam as cerimônias religiosas e os cidadãos se reuniam numa assembléia para decidir os assuntos públicos (Eclésia).
[17] Tinha o nome de Lacedemônia, era um caso especial de cidade-estado, pois além de ter terras próprias, dominava outras cidades e territórios gregos vizinhos, um sonho espartano - entender a influência sobre todo o Peloponeso.
[18] Chamados de homoioi (em grego: “iguais”).
[19] Eram homens livres que moravam próximo da cidade de Esparta e tinham de pagar impostos aos esparciatas. Ocupavam-se com a agricultura, com o comércio e com o artesanato.
[20] Não chegavam a ser escravos, mas também não eram livres. Eram forçados a trabalhar nas terras dos espartanos.
[21] Existiam escolas especiais – ginásios - para meninos dos sete aos dezoito anos. Lá aprendiam ginástica, esportes, como lançamento de dardos e lutas, e a manejar armas. Vestiam roupas leves no inverno, comiam pouco e apanhavam bastante. Tudo isso para que ficassem rígidos como o ferro, a fim de suportar o sofrimento físico. O objetivo maior era a disciplina e a habilidade militar. Já as meninas espartanas estudavam em escolas especiais para mulheres - aprendiam música e ginástica – pois o objetivo era que se tornassem boas mães.
[22] O regime democrático ateniense foi admirado por todos, pois o povo não se submetia aos caprichos de reis ultrapoderosos, a decisão pertencia a toda coletividade de cidadãos, desde que pertencesse a minoria que emitia opinião. Tanto a liberdade como a democracia em Atenas contribuíram bastante para o esplendor cultural da cidade. As reformas de Sólon foram um passo importante para a democracia ateniense, anos mais foram adotadas as reformas de Clistenes - acabaram com os privilégios políticos da aristocracia - os cidadãos atenienses podiam participar das decisões do Estado. Palavra do grego antigo – poder do povo.
[23] A insatisfação dos pobres resultou em revoltas. O arconte (espécie de governador) Sólon promoveu importantes reformas sociais, a fim de acabar com as revoltas. Decretou a anulação das dívidas dos camponeses, libertou os antigos escravos por dívida e proibiu esse tipo de escravidão.
[24] Os membros doavam navios ou dinheiro e, no começo, tinham os mesmos direitos. Dessa forma a liga tinha uma grande frota de navios para comércio e para guerra. Mais tarde, o “tesouro” da liga foi transferido da ilha de Delos para Atenas, pois embora a liga tivesse derrotado os persas não conseguiram a união para a continuidade.
[25] Era o mais rico da Grécia, lá, muitos navios aportavam e, por conseguinte, eram obrigados a pagar impostos. Essa riqueza de Atenas foi aproveitada pelo governo de Péricles.
[26] Ele foi o grande líder da democracia ateniense. Homem culto, inteligente, ótimo orador, Péricles era admirado pelos atenienses. As propostas eram sempre aprovadas pela Assembléia Popular que governava a cidade-estado. Péricles era amigo e protetor de artistas, poetas e filósofos.
[27] O mais famoso deles era o Partenon, um templo dedicado a Atena, deusa da sabedoria e protetora da cidade.
[28] Atenienses e espartanos lutaram por dez anos na Guerra do Peloponeso, os espartanos ocuparam a cidade de Atenas, mas tiveram muitas perdas.
[29] Vieram da Macedônia - um reino que ficava no norte da Grécia. Falavam grego e descendiam de povos que tinham ocupado a Grécia. Derrotaram os tebanos e os atenienses.
[30] O helenismo foi uma continuação da cultura grega. O principal centro de cultura helenista foi a cidade de Alexandria, localizada no Egito.
[31] Os jônios foram obrigados a pagar pesados impostos aos persas, e muitos de seus habitantes foram escravizados. Algumas cidades tentaram se revoltar, mas foram brutalmente punidas pelos invasores, que cortavam fora as cabeças dos chefes gregos rebeldes. Houve, mais tarde, a célebre batalha de Salamina.
[32] Havia festivais de poesia e de música. Para os gregos, o corpo sadio deveria estar unido a mente sadia.
[33] Logo depois do triunfo na batalha de maratona, o general grego Milcíades ordenou que um mensageiro fosse a pé até Atenas para anunciar a vitória. O rapaz correu cerca de 42 quilômetros.
[34] O mais famoso herói da mitologia grega foi Héracles, a quem os romanos chamavam de Hércules, mas havia outros heróis com, por exemplo, Perseus. Inclue-se nas histórias o deus Zeus e o deus Hefaísto.
[35] Zeus: rei dos deuses; Hera: protegia o casamento, o que era irônico, porque Zeus a traia com diversas mulheres mortais; Poseidon: irmão de Zeus e deus dos oceanos; Hades: outro irmão de Zeus e deus do mundo subterrâneo; Palas Atena: deusa da sabedoria; Apolo: deus da luz, do uso do raciocínio claro, da harmonia do equilíbrio e da verdade; Ártemis: protetora dos animais jovens e dos caçadores; Afrodite: deusa do amor; Ares: deus da guerra; Hefaísto: deus do talento; Hermes: mensageiro dos deuses; Dionísio: deus do vinho, das festas, do exagero, da bebedeira, da loucura e da comilança.

1 Comments:

At 11:29 AM, Blogger malu said...

Tá meio confuso você num acha? tenta por subtitulos. de resto ta bom. Aprofunde mais mitologia grega, pois é muito interessante ok?

 

Post a Comment

<< Home